segunda-feira, 28 de março de 2016

É tempo de muito trabalho!






É tempo de muito trabalho!

A Chikungunya destaca-se por apresentar febre alta, dores no corpo, inchaços nas articulações, dor de cabeça e erupções na pele. Os sinais agudos costumam durar de três a dez dias.
A principal complicação é a permanência dos sintomas por longo tempo das dores e inchaço das articulações. Às vezes impede as pessoas de retornarem às suas atividades entre dois meses até três anos.

Clinicamente, a desordem sistêmica desta patologia, favorece o carreamento e o depósito de cristais no interior das articulações, espessando o líquido sinovial e inflamando o tecido conjuntivo do corpo humano. Isto causa como resultado rigidez, dor e perda da funcionabilidade articular.

A Fisioterapia tem um papel muito importante neste cenário para recuperar as funções articulares que são atingidas por esta patologia. Na maioria das vezes, as articulações afetadas, são responsáveis pelos movimentos finos e os estabilizadores do corpo humano como por exemplo: mãos, ombros, cotovelos, quadril, joelhos e tornozelos.

A Homeopatia é uma ferramenta terapêutica atual da Fisioterapia que possui em seu vasto repertório, inúmeras substâncias que permitem entre outras funções, estimular os recursos para controlar a dor, equilibrar o sistema orgânico e drenar as articulações com edemas, favorecendo e acelerando a pronta recuperação da enfermidade.

A ciência da Homeopatia existe há cerca de 300 anos no planeta e no Brasil, desde 1840.

Para a Fisioterapia, a ciência da Homeopatia atua na prevenção e tratamento dos distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas.

Diante da crise política e organizacional da saúde pública do país, é bom lembrar que o fisioterapeuta presta assistência ao ser humano, tanto no plano individual quanto coletivo, participando da promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento de recuperação de sintomas clínicos agudos e crônicos e cuidados paliativos da população, sempre tendo em vista a qualidade de vida física e cognitiva comportamental, sem discriminação de qualquer forma ou pretexto, seguindo os princípios do sistema de leis vigentes no país.
Seja como for, enquanto a cura não vem, a Fisioterapia segue trabalhando para tratar e prevenir as alterações clínicas crônicas da Chikungunya e mais inúmeras infinidades de males que afetam a saúde e o bem estar de população na sua contextualização biopsicosocial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário